esquizoativo

o hipocalipse das máquinas desejantes, o golem antiartístico, o ócio e a fofoca por mateus potumati

parceria classe a no rap paulistano novembro 29, 2007

a parada é mais ou menos assim: no ano passado, o camaras (aka andré maleronka, aka exu transão) veio me falar todo empolgado de uns discos de umbanda que ele estava comprando. me mostrou uns sons com pontos cabulosos e disse que era louco pra fazer umas bases em cima daquilo. uns meses depois, ele me disse que tinha mostrado esses discos pro alexandre basa (produtor do turbo trio e do black alien, entre outros), e que o basa não só ia fazer as bases (basa, base… ih, ALITEROU), como tinha proposto uma parceria. nascia ali o embrião de do outro lado da ponte, disco que agora eles estão finalizando.

o nome já fala tudo: as pontes sobre os rios pinheiros e tietê são símbolos notórios da divisão entre ricos e pobres, entre a cultura hegemônica e a cultura marginal, entre a são paulo cosmopolita, que bomba em londres e é capa da vanity fair, e a são paulo brasileira, que lota os bailões em interlagos e era o combustível do saudoso notícias populares. não é segredo pra ninguém que a interação real entre esses dois mundos é cada vez mais rara no brasil. daí que os dois resolveram criar sua própria ponte, partindo dos ritmos da umbanda, do hip hop da periferia de são paulo e de artistas como itamar assumpção, fenômenos historicamente relegados a um posto menor na cultura estabelecida.

recentemente, dois rappers responsa vieram fortalecer a parceria: thig, do relatos da invasão, e o xis, que a maioria conhece mais pelo hit “us mano, as mina”. a história de como eles entraram é bem legal, e o som que eles levam é a cara do projeto todo: base pra cima, malandra, coroada com o sample muito feliz de “fico louco”, do itamar.

bom, isso tudo foi pra dizer que finalmente a coisa vai ganhar o mundão: o vídeo abaixo acabou de entrar no youtube. misto de bootleg com premiere do som, tem os dois rappers contando como rolou a parceria, e, o principal, tem o som que eles gravaram. se liguem:

quem quiser saber mais, o blog do projeto tem um texto da hora do camaras dando o salve geral: http://vibelouca.wordpress.com/

também tem algumas surpresas vindo pela frente, e assim que eu puder eu jogo aqui.

por enquanto, parabéns ao camaras e ao basa, e vida longa à ponte que eles tão levantando!


 

2 Responses to “parceria classe a no rap paulistano”

  1. Mateuzudo

    Eu tenho um blog também há há!!!

    Abaixo uma poesia paulistana/marxista.
    Vou melhorar o blog, e as poesias também.
    Coloca meu endereço na lista de blogs ô viado!!!

    Car Marx

    Capital é onde moro

    Não li o livro,

    Se tem trânsito,

    Demoro.

    íííísssssaaaaa!!!!

    valeu!

    Rafa

  2. caio Says:

    1000 grau, primo.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s